Viajando pelos projetos!

por em , , , , , , 0

Projeto Mitologia

Durante o mês de janeiro e fevereiro, a partir do projeto Mitologia, viajámos com Eneias. 
Eneias, depois da Guerra de Tróia, deixa a cidade acompanhado da família e viaja pelo mediterrâneo em busca de uma nova pátria. 
Acaba por aportar na península Itálica e está na origem da fundação de Roma. 



Comemorando o dia de São Valentim fomos explorar a história romântica de Eros e Psique, uma das lendas mais belas e conhecidas da mitologia grega.
Eros ou Cupido, um imortal muito belo, era filho da deusa do amor, Afrodite. Psique era uma mortal também muito bela mas que não tinha conseguido casar.
No meio de muitas peripécias apaixonam-se e Psique fica imortal e é levada para o Olimpo.
Eros e Psique nunca mais se separaram!!!

Projeto TeleAula

No dia 8 de fevereiro, com os alunos da Escola do HSM, viajámos pelos costumes, pela gastronomia, e zoologia e ainda descobrimos algumas curiosidades de vários países.
Uma TeleAula muito animada e divertida!


Viagens por vários mundos

por em , , , , 0

O mar voltou à escola do hospital!
O oceanógrafo Francisco falou-nos das ondas e da sua formação.
Também nos alertou para os agueiros! Porque se formam estas correntes nas nossas praias e os cuidados que devemos ter para as evitar e/ou sair delas.




O professor Paulo fez-nos uma visita acompanhado pela Nicole e pelo Lau. Foi uma sessão dedicada à matemática com o Scratch: construímos um jogo de tabuada e de cálculo de áreas e perímetros. Noutra visita, construímos uma "calculadora"! :) Ensinámos o sapo a somar, subtrair e multiplicar!






Na nossa videoconferência com a Sandra do Pavilhão do Conhecimento, aprendemos mais sobre os estados físicos da matéria. Além dos três estados físicos (sólido, líquido e gasoso) ficámos a conhecer mais dois! Com as experiências que fizemos, descobrimos fluídos não newtonianos e sólidos de Maxwell. Foi muito interessante :)




Numa TeleAula com a escola do IPO, fizemos a mala e fomos Viajar pelo mundo.
Descobrimos monumentos, animais e paisagens fantásticas. Conhecemos festas, danças e pratos típicos de todos os cantos do mundo. Foi muito divertido conhecer todas estas maravilhas!



"Parabéns!" e "Obrigado!": projetos - eTwinning e TeleAula

por em , , , , 1

Temos em mãos projetos que nos dão muito. Tanto que nos enchem a mala, a alma e o coração de alegria, de reflexão, de convívio, enfim... de boas memórias de viagem. Celebrámos um aniversário de vida de uma maneira muito especial, discutimos aspetos da nossa contemporaneidade e convivemos com amigos e parceiros, em presença e a distância.

Projeto eTwinning - "A Birthday Card for R."

A bandeira eTwinning com a aluna e a Diretora de Turma

Por iniciativa da professora diretora de turma da nossa aluna R. temos participado num projeto cujo objetivo simples mas grandioso era apenas desejar Feliz Aniversário! à aluna através do envio por correio postal de um cartão de parabéns.

A aluna junto aos pacotes de mensagens recebidas


O grupo de amigos que estiveram presentes na festa

Pacotes com as três mil mensagens recebidas

Em torno deste objetivo reuniram-se cerca de quinhentos membros, entre professores e alunos, de vinte e dois países europeus, e foram recebidos mais de três milhares de postais.
Este projeto vai muito para além de postais - cartas, fotografias, prendas - e do dia de aniversário, pois desde que a primeira missiva chegou, em meados de outubro, todos os dias são de festa e celebração.
Na plataforma eTwinning, foram-se documentando em segredo os materiais que se enviavam e os que se recebiam. O mais difícil foi manter a surpresa até ao dia oito de janeiro!

TeleAula - CMRA

Imagens sobre a atualidade que podem suscitar debate

Partindo do nosso Blogue Físico Dá que pensar..., na TeleAula abordámos com as professoras e os alunos de Alcoitão os temas implícitos nas duas imagens que se seguem - Como e onde brincamos.

My parents said I should spend more time outside/ Os meus pais disseram que eu devia passar mais tempo no exterior

No ano de 1996 uma mãe leva o filho, que jogava à bola, por uma orelha para dentro de casa. Em 2016 uma mãe leva o filho, que jogava video-jogos, por uma orelha para fora de casa.

Foi um debate muito vivo e acalorado. Os "cotas" defendiam a rua, a juventude prefere ficar em casa a jogar.
No final ainda houve tempo para ouvir os nossos amigos de Alcoitão a dizer a palavra "obrigado" em diversas línguas, o que foi muito engraçado!

O museu vai ao hospital e outras viagens

por em , , , , , , 0



Terminámos o ano de 2016 com a apresentação de um concerto de música clássica e iniciámos o ano de 2017 com uma atividade também relacionada com a música: FamiliofonesEstas atividades foram oferecidas pelo Museu da Música Portuguesa, Bairro dos Museus, inseridas no projeto O museu vai ao hospital, tendo feito as delícias de quem assistiu e participou.
Concertos Comentados decorreu no refeitório do Serviço de Pediatria do CMRA com a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras conduzida pelo Maestro Nikolai Lalov e teve como principal objetivo aproximar a música clássica e os instrumentos musicais das crianças, jovens e adultos.


Familiofones esteve a cargo da mediadora cultural do Serviço Cultural e Educativo do Bairro dos Museus, Margarida Antunes, que apresentou uma maleta pedagógica com réplicas de instrumentos musicais que foram manuseados e tocados pelos alunos e encarregados de educação.


Deixamos as nossas opiniões acerca desta atividade:

Estávamos muito curiosos para saber o que estava dentro da caixa que tinha a forma de um acordeão grande.
A Margarida chegou à escola de Alcoitão e mostrou o que estava dentro da caixa: uma viola, uma guitarra portuguesa, um reco-reco, uma ocarina, flautas e um cavaquinho.
Do que eu mais gostei foi do reco-reco e da história da princesa de Aljustrel.
A Margarida foi simpática e teve paciência para nos aturar, porque nós pedíamos os instrumentos musicais todos.
Gostámos de conhecer os instrumentos musicais e de tocar neles.
Queremos que a Margarida volte outra vez ao Alcoitão.
  
Gostei de tocar na flauta que se toca apenas com uma mão.

Eu gostei da Margarida, porque é simpática e trouxe os instrumentos para nós tocarmos.

Para informação adicional sobre estas atividades promovidas pelo Bairro dos Museus, consulte a nossa página de facebook Escola Básica Gracinda Antunes Valido e Projeto TeleAula.
Entretanto, para incentivar o gosto pela leitura e para celebrar o Dia Internacional do Obrigado, 11 de janeiro, desenvolvemos atividades durante uma semana relacionadas com o tema. Criámos a árvore do Obrigado que se encontra em frente ao jornal de parede, aprendemos a dizer "obrigado" em várias Línguas, identificámos a forma e a bandeira desses países, visionámos dois filmes que falavam sobre a gratidão e o respeito que devemos ter uns pelos outros e pelo mundo que nos rodeia e ainda escutámos a leitura do conto "Obrigado a todos!" de Isabel Minhós Martins e Bernardo Carvalho. Para informação  pormenorizada sobre este livro, consulte a página da editora Planeta Tangerina.

Árvore do obrigado

Árvore do obrigado e os cartões com vários países colados no jornal de parede

Mão de aluno a colocar um coração de papel cor de laranja com o seguinte agradecimento: estar vivo

Cartões com a representação de vários países espalhados em cima de uma mesa e o livro "Obrigado a todos!"

Cinco alunos visionam um filme na sala de aula do Alcoitão

Elaborámos um vídeo sobre este tema que pode visionar no nosso canal do You Tube.
Realizámos uma videoconferência com as professoras e os colegas do Hospital de Dona Estefânia onde abordámos um tema extremamente interessante e atual: como e onde brincamos. Infelizmente, não conseguimos mostrar nenhuma fotografia, mas que foi uma hora bem passada, lá isso foi!

As atividades mais friorentas!!!!

por em , , 0

As aventuras de Ulisses

Continuamos a nossa aventura em companhia dos heróis gregos.
Ulisses, o astuto inventor do cavalo de Tróia, permitiu a vitória dos gregos, mas perdeu-se nos mares e ilusões... enquanto o esperava a sua sempre leal Penélope.
É sempre com agrado que os nossos alunos ouvem e participam destas viagens!


Dia de Reis

Neste dia, coroámos todos os nossos príncipes e princesas com coroas recheadas de joias...



Viagem pelas cores

por em , 1

Neste início de 2.º período, continuamos a privilegiar o apoio escolar dos nossos alunos em isolamento. Esta é uma forma de tentarmos colmatar as ausências às escolas de origem.





Sempre que podem deslocar-se à nossa escola, é aí que, em pequenos grupos, desenvolvem atividades:


Também recomeçámos as nossas sessões com o Pavilhão do Conhecimento.
A Sandra e a Sílvia fizeram connosco uma viagem pelo tingimento.
Extraímos os pigmentos de algumas plantas e minerais, utilizando 3 técnicas: maceração, trituração e decantação.
As tintas que obtivemos assemelhavam-se a aguarelas e, com elas, pintámos uma grande tela. Também experimentámos fazer uma cromatografia com as "tintas ecológicas" que obtivemos.





Os direitos das crianças hospitalizadas

por 3

" "
A evolução da saúde infantil é uma história de sucesso (Machado, Alves e Couceiro, 2011)
Juntamente com a extraordinária queda da taxa de mortalidade infantil de 77,5 em 1960 para 3,6‰ em 2009, a esmagadora maioria dos indicadores de progresso do Plano Nacional de Saúde indicam melhorias significativas e consistentes a nível da população em geral e das crianças em particular.
Além disso, o esforço na humanização dos serviços de saúde tem provocado alterações na forma como é feito o atendimento hospitalar e como são protegidos os direitos dos utentes.
Nesse sentido, deixamos aqui a referência à Carta Europeia dos Direitos das Crianças Hospitalizadas, aprovada em Março de 1986 pelo Parlamento europeu, destacando os tópicos relacionados com o direito à educação durante o período de doença.

  1. Não ser hospitalizada se existir outro meio de tratar a doença. No caso de ser necessário o internamento num centro hospitalar, que o internamento seja o mais curto e o menos traumático possível.
  2. Hospitalização diurna sem que isso implique uma carga económica adicional para os pais/cuidadores.
  3. Estar acompanhada dos pais/cuidadores como elementos activos durante a sua permanência no hospital.
  4. Receber informação, adaptada à sua idade, sobre a doença, as técnicas e tratamentos administrados.
  5. Receber cuidados e tratamentos sempre pelo mesmo pessoal de enfermagem.
  6. Recusar-se a ser objecto de investigação.
  7. Os seus pais/cuidadores serem informados sobre a doença, sem que se ponha em causa a intimidade da criança.
  8. Os seus pais/cuidadores terem direito a dar a sua aprovação para os tratamentos.
  9. Direito a uma recepção adequada e seguimento psicossocial por pessoal especializado.
  10. Não ser submetida a experiências farmacológicas ou terapêuticas sem a autorização dos seus pais/cuidadores.
  11. Estar protegida pela declaração de Helsínquia no que se refere às experiências terapêuticas.
  12. Não receber tratamentos médicos inúteis, nem suportar sofrimentos físicos e morais que possam ser evitados.
  13. Ter direito a contactar com os pais/cuidadores em momentos de tensão.
  14. Ser tratada com respeito.
  15. Receber os cuidados de pessoal qualificado, tanto no plano físico como afectivo.
  16. Estar hospitalizada com outras crianças.
  17. Dispor de locais para os cuidados, brincadeiras e educação, e que cumpram as normas oficiais de segurança.
  18. Poder continuar a sua formação escolar.
  19. Ter acesso a livros, brinquedos e meios audiovisuais.
  20. Poder ter aulas durante a sua hospitalização diurna ou convalescença no domicílio.
  21. Receber os cuidados necessários. Se os pais/cuidadores se opuserem ou recusarem por diferentes motivos, será necessária a intervenção da justiça.
  22. Obter ajuda económica, moral e psicossocial no caso de necessitar de tratamentos no estrangeiro.
  23. Pedir a aplicação da presente Carta no caso de a criança necessitar de hospitalização em países que não façam parte da Comunidade Europeia.

Deixamos também a Carta da Criança Hospitalizada, uma versão simplificada da carta europeia, preparada em Leiden em 1988.

  1. A admissão de uma criança no Hospital só deve ter lugar quando os cuidados necessários à sua doença não possam ser prestados em casa, em consulta externa ou em hospital de dia.
  2. Uma criança hospitalizada tem direito a ter pais ou seus substitutos, junto dela, dia e noite, qualquer que seja a sua idade ou o seu estado.
  3. Os pais devem ser encorajados a ficar junto do seu filho devendo ser-lhes facultadas facilidades materiais sem que isso implique qualquer encargo financeiro ou perda de salário. Os pais devem ser informados sobre as regras e rotinas próprias do serviço para que participem activamente nos cuidados ao seu filho.
  4. As crianças e os pais têm o direito de receber uma informação sobre a doença e os tratamentos, adequada à idade e à compreensão, a fim de poderem participar nas decisões que lhes dizem respeito.
  5. Deve evitar-se qualquer exame ou tratamento que não seja indispensável. As agressões físicas ou emocionais e a dor devem ser reduzidas ao mínimo.
  6. As crianças não devem ser admitidas em serviços de adultos. Devem ficar reunidas por grupos etários para beneficiar, de jogos, recreios e actividades educativas adaptadas à idade, com toda a segurança. As pessoas que as visitam devem ser aceites sem limites de idade.
  7. O Hospital deve oferecer às crianças um ambiente que corresponda às suas necessidades físicas, afectivas e educativas, quer no aspecto do equipamento, quer no do pessoal e da segurança.
  8. A equipa de saúde deve ter a formação adequada para responder às necessidades psicológicas e emocionais das crianças e da família.
  9. A equipa de saúde deve estar organizada de modo a assegurar a continuidade dos cuidados que são prestados a cada criança.
  10. A intimidade de cada criança deve ser respeitada. A criança deve ser tratada com cuidado e compreensão em todas as circunstâncias.